quarta-feira, 22 de agosto de 2007

acabei de ler De Bagdá, com muito amor

Finalmente acabei de ler o livro e já me arrependi de ter lido tão rápido, acho que perdi alguma coisa... fiquei com essa impressão.
Em uma das passagens do livro, Jay pensa como seria se ele morresse, fosse pro céu e de lá visse Lava passando necessidade, comendo cadáveres ou sendo executado e ele chega à conclusão que prefere ficar vivo no inferno de Faluja do que ver Lava daquela forma. Essa passagem me fez lembrar um filme evangélico onde as pessoas que crêem em Jesus e o aceitam como o salvador serão resgatadas para o reino dos céus e aqueles que não acreditam ficarão penando na Terra. Também ficarão na Terra os animais, pois não tem espírito. Quando vi este filme, pensei como o tenente Jay e pedi a Deus: "Se for pra ficar no céu vendo os animais e as pessoas sofrendo, prefiro ficar no inferno da Terra sendo útil e cuidando dos animais. Por isso, não posso crer neste "Deus" que abandona". Então, quando li o livro, senti em mim o sentimento de Jay. Só quem ama os animais e é amado por eles sabe o quanto isto é importante.
O livro também fala que, no momento de Jay buscar Lava no aeroporto, os reporteres perguntaram o que ele teria a dizer para as pessoas que o criticam por não ter salvo crianças em vez de um cachorro. A resposta é perfeita, mas não vou contar, leiam o livro. Acho que esse é o grande final.

2 comentários:

Rosinha disse...

Pôoooxa, assim não vale, fiquei curiosa agora pra saber a tal resposta, vou ler o livro só pra saber isso..do jeito que sou curiosa. Que maldade ficar atiçando assim, viu?

bjs!!

Geo disse...

Poderia até te contar pessoalmente, mas acho que vc vai gostar de ler. Beijos.