sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Carnaval 2009

Sei que estava em falta com as resenhas do Carnaval da Bahia, mas foi pura falta de tempo.

O Carnaval esse ano foi muito bom. Não sei qual foi a estratégia da polícia, prefeitura e governo do estado, mas a violência diminuiu consideravelmente. Brincamos na pipoca à vontade, vimos Ivete, Chiclete, Timbalada e Psirico sem nenhum problema.

Quinta saímos no Trimix com Tatau, mas chegamos atrasados. Depois do bloco curtimos Chiclete, Timbalada, dentre outras atrações. Pra quem não quer pagar bloco e não tem preconceito sexual, os mascarados com Margarete Menezes sai sem corda, basta colocar a fantasia e brincar à vontade.

Sexta e Sábado fomos para a pipoca em Ondina. O segredo é chegar cedo, curtir as principais atrações e ir embora antes que a muvuca chegue. Foi o que fizemos. Conseguimos brincar quase meia hora ao som do Chiclete (eles param um bom tempo em frente ao camarote do Nana). Ivete passou rápido no sábado, olhando pro nada, ficamos decepcionamos, mas perdoamos a rainha.

Não conformados, domingo fomos no Campo Grande ver Ivete sair com o Corujas. Ela cantou, brincou, estava radiante. Depois vimos Claudinha, em forma e beijando muito. Saulo passou lindo como sempre, com aquele jeito de menino que quer colo. Depois da Banda Eva (Saulo) seguimos andando para Ondina. Baiano em dias normais não sai de Nazaré a Ondina andando, mas Carnaval tudo é possível. Mais banda na pipoca tudo com tranquilidade.

Segunda Rafa não estava bem, ficamos em casa vendo o carnaval do Rio. Se Deus permitir em 2010 vamos conhecer as escolas de samba porque são lindas.

Terça fomos na bolsa de abadás da Boca do Rio e compramos 03 abadás do Inter a R$50,00 cada. Saímos no circuito do Campo Grande com Tatau. Bom demais. O bloco estava animado, porém tranquilo. É bloco de baiano e não de turistas, o que pra mim o torna mais animado, porém não tão bonito de se ver ( ao contrário de Narciso, acredito que o diferente tem seu Q de beleza).

O Carnaval da Bahia é algo difícil de descrever, é preciso sentir. Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu, por isso tem que sair 01 dia que seja em um bloco ou atrás de um trio na pipoca. Quando o som do batuque confunde as batidas do coração,quando mãos se levantam na mesma sintonia, vozes ecoam o mesmo verso, tudo parece virar mágica. Suor com suor, irmão com irmão, sem preconceito. Impossível definir, só quem já viu sabe do que estou falando. Espero vocês em 2010.

7 comentários:

Cristiane A. Fetter disse...

Só em ler o roteiro eu fiquei exaaaaaaaaaaaaaaaaausta, rs.
Deve ter sido massa!
bjks

http://milleanita.blogsopot.com disse...

Nossa, amada, até eu que não curto axé, carnaval na Bahia, e outras coisas, cheguei a arrepiar com o seu relato!

Parabéns!!!

Beijos mill, quem sabe não vou a Salvador no próximo Carnaval???

Ana disse...

Geovana, off topic. Como vc tb está nessa lide sobre direito de escolha, te mando isso:

http://oglobo.globo.com/pais/cidades/mat/2009/02/28/menina-de-nove-anos-gravida-de-gemeos-vai-interromper-gestacao-em-pe-754638221.asp

O que achou?

Bjos

Geovana disse...

Oi Ana, a questão apresentada no link é mesmo complexa. Não é um aborto puro, simples. É uma criança que corre risco de vida e não tem nenhuma estrutura física para ter gêmeos. Envolve uma questão muito maior que o aborto, que é o descaso do nosso país com nossas crianças. A doença social instalada que não sabemos onde vamos parar. Obrigada pela notícia.

Meninas, aguardado vocês em 2010.

Ana disse...

POis é, mas se a gente for pensar bem, aborto é aborto em qualquer instância e quem milita contra o direito de escolha tem que ser coerente com o discurso.

Exemplificando, gostei do que me disse uma amiga de anos, que é da Opus Dei - o blog dela está linkado no meu. Ela diz: se é aborto, é aborto. Ela é contra não importa o que haja, porque senão seria uma incoerência.

Bom, vc falou meninas, acabou que fiquei curiosa. Que tem em 2010? Vc vai sair candidata? :-)

Geovana disse...

Ana, eu não tenho esse posicionamento radical. Assumir postura contra ou a favor do aborto é perigoso porque qualquer uma das propostas exige um investimento muito maior do que apenas aprovar a lei e meu questionamento é justamente esse. De nada adianta leis se as pessoas continuam ou escondendo o fato ou sendo radical em defendê-lo ou recriminá-lo. Cada caso é um caso e é por isso que a educação é infinitamente mais importante que qualquer lei sobre o assunto.

Em 2010 aguardo todas (todos) para o carnaval da BAHIA.

Abraço.

Geovana disse...

Tem mais uma questão, Ana. Se a lei fosse assim tão única e radical, não precisaríamos de juristas. É por sermos únicos que o Direito é uma ciência humana e não exata. Pense nisso.