sábado, 3 de janeiro de 2009

Subindo o Nordeste - Sexto, Sétimo, Oitavo e Nono dias


13, 14 e 15 de Dezembro. Dia 13 chegamos a Natal, mas para mim a viagem ia só até João Pessoa, eu já estava cansada de ficar no carro. Pra variar, sem hospedagem e sem conhecer a cidade. Mas foi bom porque Natal é realmente bonita, bem sinalizada e bem cuidada.

Já na entrada Natal encanta, é tudo amplo, limpo e bonito, principalmente nesta época de fim de ano. A primeira vista foi Ponta Negra e por mim me hospedava por lá, mas meu pai achou deserta (na verdade nem olhou e já colocou defeito). Imagina Ponta Negra deserta, é lá que tudo acontece.

Seguimos para Praia do Meio e praia dos artistas. Olhamos algumas pousadas. Tudo parecia meio abandonado, uma área do tipo já foi. Eu não gostei de lá, embora o mar fosse bem bonito.

Seguimos, atravessamos a ponte, fomos no Litoral Note e voltamos para o Centro de Turismos de Natal. Lá pegamos o mapa e vimos que tínhamos conhecido boa parte da cidade turística, só faltava a via costeira, então voltamos por lá e nos hospedamos na Praia dos Artistas que fica junto à Praia do Meio. À noite fomos ao Shopping e depois voltamos pro hotel Praia do Meio, onde nos hospedamos. Prefiro não dar referências sobre o hotel. Quem puder, hospede-se em Ponta Negra e quem puder mais ainda hospede-se na Via Costeira.

No dia seguinte, dia 14, fomos para a região Sul, conhecemos o maior cajueiro do mundo e a Lagoa de Arituba. O cajueiro é incrível, gigante mesmo. Dezenas de pessoas fotografando, comprando doces, levando as castanhas. Não adianta plantar. O cajueiro sofreu uma mutação e suas sementes não dão pés gigantes.

A lagoa é limpa, de água bem doce e numa temperatura amena. Tem caiaque, pedalinho e barraca com restaurante. Rafael não queria mais sair. Eu, após 04 horas na lagoa queria conhecer outros lugares. Em vez de dizer que queria ficar, Rafael saiu emburrado e estragou o dia. Ainda paramos na Baía dos Golfinhos, mas o clima não estava bom. De lá não fizemos mais nada. Fomos para casa todos de mau humor porque na verdade já estámos cansados de tanta informação.

Enquanto Rafael e meu pai se enfiavam num botego de quinta, Júnior via TV, eu e minha mãe fazíamos compra no centro de artesanato próximo ao hotel. Muitas roupas e lembranças de Natal.

Dia 15 seguimos para Maceió, Alagoas. Um dia inteiro de viagem mal humorada. Eu já não agentava abrir a boca e receber esporro. Até quando tentava agradar era mal interpretada. Aí resolvi fingir de muda. Chegamos à noite, nos hospedamos em um hotel sujo a contra gosto meu, mas não me meti pra não ser chata mais uma vez. Eu, Rafa e Júnior saímos para uma volta na orla e para comer algo. Meus pais saíram depois, separados.

Dia 16, eu e minha mãe dissemos que não queríamos mais passear, que fícariamos na cidade rodando os centros de artesanatos e que o que queríamos era voltar para casa. Júnior também disse que queria voltar, que já estava cansado. Voltamos para casa um dia antes do programado.

Aguarde as considerações finais e dicas da viagem.

3 comentários:

Alexsandra Moreira disse...

Oi Geo... que viagem bacana né? quase fui a Maceió no reveilon...

e nosso carnaval vai rolar a chapada?

bjão

Geovana disse...

Vamos negociar, só marcando a lasanha na sua casa para acertar. Se bem que eu gosto muito da muvuquinha do carnaval, não sei se estou preparada para fugir dele. eheheh...

Rita de Cassia disse...

Oi Geo, hoje tive um tempinho pra ler sua jornada. Legal né? Viajar assim ... sem horários pre-estabelecidos, roteiros, etc. Também já fui a Natal, rapidamente ví tudo que interessava e o hotel...bem, é melhor não comentar. Jóão Pessoa fui num S.João e foi bom. Tenho foto no cajueiro. Esticamos até Campina Grande para o forró. Já Maceió não gostei muito. Fui num carnaval e só ví uma troça passar. Os ônibus, achei pior que os daquí. Não sei se continuam assim.
bjs e Parabéns pela viagem e pela narrativa.