quinta-feira, 27 de março de 2008

Terra Morena

Se existe algo difícil de esquecer é a própria origem. Por isso, apesar de Salvador ser a terra do meu coração, guardo Nazaré, minha cidade natal, como um marco onde preciso voltar sempre para não esquecer minha origem. Sempre escolho a Semana Santa por ser uma data que me traz lembranças positivas.
Esse ano fui lá pensando também no blog e em tudo que eu poderia clicar, para que vocês fizessem essa viagem no tempo comigo.



Nazaré, cidade do recôncavo baiano, foi emancipada em 10 de novembro de 1849.
Ainda conserva bonitos prédios históricos e um ar bucólico. O fórum, o cinema, o barroco, algumas residências e prédios comerciais guardam essa história.

A feira dos caxixis é uma amostra de artesanatos de barro (argila), produzidos em Maragogipinho, que começou às margens da procissão da sexta-feira santa, com os caxixis (pequenos objetos de barro) e hoje conta com bonitos e bem trabalhados objetos de decoração e utilidade.O Cristo de Nazaré é outra atração. Posicionado no ponto mais alto da cidade, o monumento mostra a fé e a devoção do povo nazareno. O Cristo foi construído e reformado na administração de Clóvis Figueiredo. Este ano encontrei algumas melhorias no local:A criação de painéis de mosaico com imagens da cidade de Nazaré e a via sacra contada com estátuas ao longo do caminho que leva ao monumento. A segunda ainda está em execução, mas na próxima semana santa deverá estar prontinha aguardando os turistas.A festa da semana santa é polêmica porque as prefeituras colocam atrações musicais, a maioria de baixo nível, para tocar no dia da morte de Jesus. Acredito que, se a festa é católica e santa, os princípios do catolicismo devem ser respeitados ou o feriado perde o sentido de existir. Por isso, deixo aqui o meu manifesto contra o prefeito Clóvis Figueiredo porque colocou a festa, não a partir do sábado como faziam antes, mas começando na quinta-feira santa. A prefeitura, com uma mão dá o Cristo reformado e com a outra a festa profana, deixando a cidade com ares de desrespeito com uma importante cultura popular.

5 comentários:

Alexandre M. Lima disse...

Que falta de bom senso do prefeito! Parabéns pela sua cidade ainda conservar algo tradicional como a Feira dos Caxixis.

Sonhos de Crochê disse...

Muito bom não esqueçer nossas raízes e valorizar nossa terra. Ficaria meio doida na Feira dos Caxixis. AAAAAAMMMMMMMOOOOOOO artesanato, principalmente de barro.
Beijos

Geo disse...

Eu achei que tinha dito, mas não disse:
Comecei a fazer um blog com as fotos que tirei por lá. http://www.caxixidenazare.blogspot.com

Vejam mais fotos por lá.

Cristiane Fetter disse...

Valorizar nosso lugar, sem ter vergonha de falar dele, seja que cantinho for, é fundamental para mostrar quem nós somos.

Adorei o post Geo.

Beijocas

Geo disse...

Obrigada a todos. Realmente é gratificante ter orgulho de onde vivemos. Eu tenho orgulho de Nazaré , de Salvador e da Bahia.

Pois é Xande, o prefeito não tomou chá de simancol (essa foi do baú). Nazaré guarda, além da cultura da feira, uma arquitera histórica muito importante.

Rita, eu tb fico querendo levar tudo, mas não dá. Nem é caro, mas é preciso um pouquinho de controle.

Beijos.