quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Por que Daniela é assim?

Bonita, uma linda voz, famosa, boa representação na mídia, ótimos compositores anciosos que ela grave uma música. Daniela Mercury tem tudo para ser uma estrela amada por todos. Foi justamente essa Daniela que atraiu a mim e a outras tantas pessoas que estiveram no Farol da Barra - Bahia dia 01/01/08 para ver seu primeiro show do ano.

O Show começou às 19h. Sem nenhuma apresentação, entra o grupo de músicos e vocais. Estranho, mas imagina-se que eles têm que passar o som. Pouco tempo depois entra Daniela Mercury, da mesma forma que entraram os músicos. Sem apresentação, sem boa noite, sem obrigada por estarem aqui comigo neste dia.

Acaba a primeira música e nada de comunicação com o público. Uma música atrás da outra, quase todas desconhecida e falando de candomblé. Percebendo a estranheza do público, surgem as primeiras palavras não decoradas de Daniela. Mais ou menos assim: "Sei que vocês não conhecem essas músicas. São canções compostas por mim que não tocaram nas rádios, mas estiveram nos meus álbuns durante todos esses anos, desde o disco O Canto da Cidade".

No meio do show ela cantou "Menino do Pelô" e chamou o percussionista mirim que regeu um grupo, acho que nas olimpíadas. Fez uma bonita homenagem e esse fato trouxe esperança de o show melhorar. Esperança findada, tudo continuou como antes.

Algum tempo depois, Daniela chamou Carlinhos Brown que salvou a noite. Ele cantou, tocou violão, bateria, percussão e animou a galera. Com seu jeito simples, mostrou como se trata um convidado. Trouxe boa música e alegria e deixou claro o que é que a Bahia tem.

Não esperei o show terminar. Chamei minha família e fomos embora para evitar o congestionamento e a confusão da saída. Não sei se Daniela conseguiu salvar o show, mas diante da falta de argumento no site da globo e da falta geral de comentários, acredito que poucos tenham gostado.

Diante desse fato só posso crer que nem o povo baiano aguenta mais Daniela, nem ela aguenta mais o povo baiano. Infelizmente terei de vê-la passar no carnaval 2008.

6 comentários:

Alexandre M. Lima disse...

Não é só com Daniela que isso acontece. Em geral, os artistas baianos estão um saco! Repetitivos demais. Ultimamente, tenho voltado os meus ouvidos para os artistas da Inglaterra por aqui no Brasil tá muito cafona. A última coisa diferente que aconteceu por aqui foi Ivete Sangalo e, no plano do rock, Los Hermanos. E eles já estão batidos!

Geo disse...

Em parte eu concordo com vc pq, na noite do reveillon, a banda Olodum tb estava bem chatinha. Nada de novo para apresentar, músicas antigas e as mesmas batidas dos anos 90.

Rosinha disse...

Deve ser a chamada crise da axé music. hehe
Daniela deveria cantar apenas MPB, a voz dela é perfeita pra isso. Já o resto (Ivete, Olodum, Timbalada etc.) poderia se aposentar! rsrs

Sonhos de Crochê disse...

Sou suspeita para opinar. Já vão longe os tempos em que frequentava shows, porém posso te dizer, já gostei da Daniela. Hoje não vejo mais novidades nem razão pra escutar. É como o que sinto por Roberto carlos, já gostei, quando criança e adolescente, não comprava disco mas gostava. Hoje em dia nem me lembro. Vão aparecendo outros... e os que já foram sucesso não conseguem mais se manter no topo. Ou estamos ficando mais exigentes?! Sei lá! Só sei que nem sinto falta dela também.
Beijos
Rita

Geo disse...

O carnaval e as festas na Bahia são para turista, classe alta e poucos da classe média que se penduram em cartão de crédito pra se sentirem "por dentro do que rola". Realmente nada de novo tem surgido, até Ivete conseguiu fazer 02 DVD com as mesmas canções. Mesmo assim as vendas são altas, os shows caros e os blocos inacessíveis.
Rita, o novo vem pra forçar o velho a evoluir e quem não evolui (Daniela) cai no esquecimento. Na música baiana o novo é só uma maquiagem do velho. Quem é muito jovem não percebe isso.
Acho que vou dançar o frevo em Recife!!!

Sonhos de Crochê disse...

E será muito bem vinda. Venha com fôlego, porque é uma canseira pular atrás de bloco, é preciso muito vigor, mas isso você tem. Aqui ainda dá para brincar na rua, tem muitos polos, para todos os gostos. Mas vou te contar um segredo, nada como o carnaval de Olinda, é maravilhso, mas tem que ser de dia, porque a noite o morro desce e confusão está feita.
Beijos
Rita