sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Nas coxas

Recebi agora um link sobre os diversos livros que discutem os termos e provérbios da língua portuguesa. O texto, publicado no jornal ZH em 6/01/2007, retrata como esses autores estão inventando informações sobre as origens das palavras de forma incoerente e sem nenhuma preocupação com a verdade. Um exemplo citado é a palavra Forró, que muitos dizem ser uma adaptação brasileira a "for all" e na verdade é só uma abreviatura para forrobodó ("festança").
O pior exemplo foi o de aluno, citado no livro como "sem luz", quando na verdade significa
"criança de peito, menino, discípulo".

Meus professores me ensinaram que se eu quisesse uma fonte segura deveria consultar os livros. Depois dessa notícia, acredito que os mestres verdadeiros estão bem decepcionados.

Leia: http://www.sualingua.com.br/02/02_nas_coxas.htm

Um comentário:

Rosinha disse...

Adorei esse site! Não só por esse artigo (que é muito bom e bem escrito) mas por tudo o que ele esclarece para nós sobre a língua portuguesa. Valeu a dica, Geo!

bjs