terça-feira, 4 de setembro de 2007

As mãos de Deus

Ontem, como de costume, porém um pouco mais tarde, peguei o ônibus pro trabalho. Nas proximidades de Cana-brava dois jovens aparentando ser menores de idade entraram no carro. Após o retorno, um deles começou a cantar, deu o sinal pro outro e fez que ia descer no ponto. Neste momento ele seguiu pra frente e colocou o revolver apontado para o motorista. O outro, armado com uma faca tipo peixeira roubou os pertences dos passageiro e os dois desceram deixando as pessoas em estado de choque e impotência.
Alguns pessoas não foram roubadas, eles não enxergaram, ficaram nervosos. Eu fui uma dessas pessoas, despercebidas pelos ladrões. Diante de tal situação me senti "A abençoada" e acho que Deus me protegeu desde que acordei e vou dizer por quê:
1. Ao amanhecer procurei outro tênis mais velho e barato pra usar, mas estava molhado
2. Troquei os penduricalhos de ouro por bijouterias, depois achei bobagem e coloquei os de ouro novamente
3. Na saída disse a minha mãe que ia aproveitar e não ia pro meu local de trabalho, ia aproveitar pra passar no médico e olhar a contusão, mas não fiz.
4. Finalmente, depois de contradizer os avisos do meu subconsciente, Deus precisou interferir externamente e me colocar numa cortina para que os ladrões não me vissem.

Fomos prestar queixa, tentar amenizar o susto de quem foi lesado.

Então, a partir de ontem, resolvi dar uma forcinha a Deus: Não uso mais objetos de valor, tirei da carteira folhas de cheques, cartões que não uso, CPF, comprovante de residência e outros documentos que possam me comprometer.

Várias pessoas julgaram os ladrões dizendo que deveriam ser mortos, mas eu cheguei à conclusão que não vim nesse mundo pra julgar ninguém. Sou roubada todos os dias com verbas do governo desviadas, preços abusivos, juros embutidos e tantas outras formas lícitas de roubo. Por isso, não vou discriminar dois adolescentes que cresceram às margens da sociedade (por isso marginais), sem direito a um vida digna e uma família estruturada. Tenho pena desses meninos e peço a Deus que não os abandone.

Então, ontem não escrevi por total falta de tempo, embora tivesse muitas coisas legais a contar e refletir.

Uma mensagem deixo aqui: Acreditem em Deus, na vida e no homem; Faça pelo mundo o que gostaria que o mundo fizesse por você e pelas pessoas que você ama; Busque julgar menos e ajudar mais; siga com Deus.

3 comentários:

Alexandre M. Lima disse...

Já passei por duas tentativas de assalto a ônibus quando era estudante e uma tentativa de furto quando estava subindo em um. Realmente, é uma situação que ninguém quer passar mas que às vezes é inevitável para nos dar um "toque" de que devemos ficar sempre alertas e não vacilar para o "amigo do alheio".
Por isso que eu prefiro não comprar o celular da moda, nem roupas de grife e usar jóias. No seu caso, mulher gosta muito de jóias então troque-as por bijuterias. Infelizmente, para quem anda de buzú, essas coisas só fazem atrair ladrões.

Sonhos de Crochê disse...

Geo, realmente és uma abençoada!
E que bom que percebestes que não desses ouvidos aos avisos... quem já não passou por situação semelhante?
No resto também estás certa, não nos cabe julgar, cada um escolhe seu caminho e as consequencias de suas próprias escolhas. Há apenas um mandamento (para mim!):
AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO COM A TI MESMO
Só precisamos deste, o resto vem por tabela.
Que Deus continue te iluminando, te guiando e te protegendo.
PAZ para ti
Rita

Geo disse...

É verdade, temos que dar uma forcinha a Deus não usando coisas caras e fazendo a nossa parte pra melhorar o mundo que vivemos. A violência está aí, batendo à porta de todos, do mais rico ao mais pobre. É uma conseqüência do que nós, seres humanos, fazemos com o mundo. Quem sabe isso melhore? Obrigada pelos comentários.