terça-feira, 19 de julho de 2011

Eu era o vento e não sabia...

"Sempre corri atrás de mim como uma criança atrás de um balão levado pelo vento. Eu era o vento e não sabia". Quantas vezes buscamos a nossa felicidade no outro, transferindo a responsabilidade do nosso futuro, prazer, alegrias e realizações, empurrando o outro para longe de nós sem nem percebermos? Quantas vezes alimentamos o mal e perdemos o bem?

A felicidade é única, fundamental e necessária. É claro que existe Deus e Ele olha por nós, mas existe um Eu que é como um imã que atrai ou repele pessoas das nossas vidas. Ser otimista, determinado, amável, confiável e confiante atrai pessoas. Saber ser feliz sozinho traz segurança e demonstra uma auto-estima invejável. Quem alimenta a raiva, a inveja e a destruição corre o risco de viver eternamente nesse círculo de malícia.

Somos seres sociais, precisamos dos amigos, família, de amor e de fé, mas somos seres únicos e é com nossa unicidade que devemos buscar a felicidade. Devemos buscar no mundo tudo o que nos faz bem e devolver esse bem ao mundo. Quem está feliz sozinho pode ser feliz com todos e acreditem, a felicidade também é contagiosa.

Nenhum comentário: