sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Águia X Galinha

Este texto é o primeiro post de 2010 (programado, ok?). Contribuição do colaborador Adriano Alves.

Abraço a todos!

------------------------------------------------------
Nossa vida se assemelha mais à de uma águia ou à de uma galinha? Com qual nos identificamos melhor?

GALINHA
· Não voam.
· É caça.
· Olhos laterais.
· É alimento.
· Come restos.
· Domesticável.
· Medrosa
· Se sujeita a ficar presa
· Faz seu ninho ao nível do chão.
· Várias espécies.
· Só enxerga durante o dia.
· Ninho: pena e capim.
· Aceita mais de um galo.
· Morre cabisbaixa.

ÁGUIA
· Voam alto, muito alto.
· É caçadora.
· Olhos frontais.
· É devoradora.
· Não se alimenta de nada em decomposição.
· Selvagem.
· Corajosa.
· Não aceita ficar presa.
· Constrói seu ninho nos penhascos.
· Espécie rara.
· Vê durante o dia e durante a noite.
· Ninho: pena, capim e espinhos.
· Só aceita um macho durante toda a vida.
· Morre voando.

Conclusão

No quintal de minha casa havia uma galinha d’agola. Se alguém corresse atrás dela, mesmo que fosse uma criança, provocava o maior tumulto. A pobre coitada fugia, desnorteada, gritando:
“To fraca, to fraca, to fraca…”
É próprio da natureza da galinha ser fraca, indefesa. Sente-se facilmente ameaçada, com medo.
Já lhe ocorreu, leitor, que existe águia d’angola? Não. Não existe águia temerosa.
A águia é conhecida pela sua intrepidez e coragem. Ela não foge à luta. Não se acovarda.
Não se entrega os pontos ante circunstâncias adversas.
A águia é igualmente símbolo de liberdade. Não se sujeita ao cativeiro. Morre, mas não fica presa. “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou…” (Sl 5:1).

Olha que interessante

Nascemos em Cristo para voar. E voar alto.

À medida que os filhotes vão crescendo, a mãe águia vai retirando primeiro as penas depois o capim, para que os espinhos criem certo desconforto e eles alcem vôo.

Deus age da mesma forma conosco. Quando estamos bem acomodados no nosso ninho, ele, como a águia, retira as penas, as peles, o capim, os gravetos, e permite que os espinhos nos incomodem, para que alcemos vôo.

Quando chega o momento de o filhote aprender a voar, a mãe põe-no sobre a asa, sobe bem alto, e então se inclina, deixando-o escorregar. E lá vai o filhote descendo todo atrapalhado. De repente, a mãe desce como uma bala e posiciona-se abaixo dele para que pouse em suas asas. E repete esse ritual até que o filhote aprenda a voar.

“Como a águia desperta a sua ninhada e voeja sobre os filhotes, estende as suas asas e, tomando-os, os leva sobre elas”, assim o Senhor nos sustenta e, em caso de titubearmos, abriga-nos sob suas potentes asas. Ele está sempre por perto para nos socorrer. Suas asas são sempre o melhor e mais seguro abrigo.

“Cobrir-te-á com suas asas, sob suas asas estarás seguro…” (Sl 91:4).

Fonte: http://conteudo.arcauniversal.com/2009/12/29/a-diferenca-entre-a-galinha-e-a-aguia/

2 comentários:

Elaine disse...

Geovana,
Feliz ano novo!
Tem uma promoção de ano novo no blog, com selo e tudo! Gostaria que você participasse.
Beijos e fique com Deus. Durante o ano todinho...

Alma Inquieta disse...

Olá Geovana!

Desculpa as minhas ausencias, cara linda!

Espero que estejas bem!

Infelizmente, agora que estou de cama com uma gripe terrível que me impede de me aproximar do meu sogro, o lado positivo, é que me sobra tempo para visitar os amigos...!

Assim, no meu portátil, cá estou eu a retribuir os gestos de carinho.

Quando criaste o blog não imaginavas que irias ter tantos amigos..., até em Portugal, mas tens, porque te fazes querer!

Porque és linda, por fora e por dentro!

Eu também não imaginava, mas o que te deixo aqui é um convite.

Visita este blog, de certeza não te vais arrepender, recomendo-o vivamente! Não é bom..., é EXCELENTE! Tem mensagens que fazem muito bem à Alma!

É de um Amigo meu argentino, mas também é escrito em potuguês.

http://serpai-acerca-de.blogspot.com/

Um beijo e votos de uma excelente semana.