segunda-feira, 13 de abril de 2009

O Golpe do Cheque

Semana passada resolvi ir ao Banco do Brasil e retirar algum dinheiro para o feriado da semana santa. No momento que eu retirava os metais da bolsa para conseguir entrar, uma menina de boa aparência, com cadernos de escola, me abordou pedindo um favor relativamente simples: depositar um cheque do pai dela, que era cliente da agência em questão, na minha conta e eu retirar o dinheiro para ela.

Pensei logo que era um golpe, que o cheque entraria para compensação e não teria fundo, mas ela me garantiu, e era verdade, que o cheque sendo da agência, a compensação era imediata. Minha curiosidade foi maior que o medo, então disse que a acompanharia e, se o gerente confirmasse a história dela eu faria do depósito.

Conversamos enquanto esperávamos nossa vez. Ela, sempre simpática e até tímida, me falou o nome (não lembro), disse que fazia enfermagem na UNEB, mas queria mesmo era ter feito medicida. Disse que precisava do dinheiro para pagar a C&A porque estava vencendo e tinha esquecido o cartão dela do banco.

Quando chegamos ao Caixa, o atendente informou que a assinatura do cheque não era verdadeira e não poderia fazer o depósito. Nesse momento é que entendi o golpe. A garota roubou a folha de cheque e usaria minha conta como laranja, desviando a atenção do nome dela.

Após o ocorrido vi que minha curiosidade e ingenuidade poderiam ter me custado caro. Se o atendente resolvesse apreender o cheque ou documentos para averiaguação eu poderia ser acusada de roubo ou algo parecido e não teria prova alguma contra a garota. Felizmente (ou infelizmente) o atendente agiu com normalidade, devolveu e cheque e ficou o dito pelo não dito. Eu deixei ela no caixa e saí para retirar o meu dinheiro. Fui poupada de um escândalo porque moro num país onde roubar é normal e ninguém se abala mais por isso.

9 comentários:

Alexsandra Moreira disse...

Afff, Tú é uma alma boa... porque se fosse comigo eu diria sem fazer nenhum tipo de cerimônia que não rola...rsrsrsr

bjs

Geovana disse...

Alma boa é bobagem... tem mesmo que desconfiar e nem dar trela pra gente que pede favor em banco. Vivendo e aprendendo.

Sofia disse...

Quando comecei a ler a história pensei logo:"Roubou" o cheque em branco ao pai, falsificou a assinatura e para não ficar o nome dela, pede a uma pessoa (nesta caso tu) para depositar o cheque...é incrível, mas mesmo em Portugal existe este tipo de situações...e eu estou como a Ale,se fosse eu tinha dito logo que não.:)

Beijinhos*

Elaine disse...

Olá!
Geonana, já pensou se essa mocinha fosse uma falsária melhor? e o atendente compensasse o cheque e depois algo fosse descoberto?
Que coisa, nem ajudar as pessoas dá mais pois nunca se sabe de onde virá o golpe...
Fique com Deus e boa semana(sem tentativas de golpe que é melhor, né?)

Rosangela disse...

É como aquela comunidade do orkut que diz: "Bonzinho só se f*de!"
E é verdade.

Cristiane A. Fetter disse...

Menina, ainda bem que a presença de espírito falou mais alta, eu provavelmente nem teria levado o papo adiante, diria logo um não.
Que mulher sem vergonha essa ein?
bjks

Rita de Cassia disse...

É pena Geo que estamos vivendo numa época onde não se pode mais confiar nas pessoas. A quem pedir ajuda então? A polícia? Aos governantes? Ao vizinho? Ao amigo? Pra todo lado que se vira surge uma interrogação. Meu lema sempre foi: A princípio, todo mundo presta! Te confesso que ainda penso um pouco assim. Mas tá difícil! Tô fazendo uma força enoooorme pra continuar a pensar assim e a ter fé na humanidade. Mas cá pra nossos botões tá me dando muito trabalho. Gosto de paz e muita tranquilidade. De porta e janelas abertas, de luz do sol dentro de casa. De paradinha para chá ou café, de muita conversa, de risadas escancaradas... quero continuar assim, mas não tá fácil.
bj

Geovana disse...

Pois é meninas, o jeito é aprender a desconfiar, infelizmente.
Fiquem com Deus. Abraços.

Pri Guti disse...

Geo, já respondi para você lá no blog quanto a sua dica, valeu! Agora quanto a esta tentativa de golpe... Você disse tuuuuuudo. Neste País podemos esperar qualquer coisa, que loucura! Um grande abraço e se cuida mesmo!