quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Onde vamos parar?

Você imagina que exista pirataria de diesel? Eu não imaginava que gatunos, na calada da noite, roubassem diesel dos barcos para revender, muito menos que meninas se prostituissem para adquirir o diesel roubado. Pois é o que acontece no Pará.

Quando vi a reportagem sobre o roubo de diesel no Pará quase não acreditei, não apenas pelo roubo, mas pela prostituição associada. A impressão é que o diesel é uma droga dessas bem difícil de adquirir e não um combustível legalizado e amplamente difundido no país.

Então preciso urgente de uma resposta: Como mudar essa realidade no Brasil? Como impedir que tudo se transforme em roubo, contrabando, tráfico e prostituição? Eu ainda acho que é com trabalho e educação, mas essas soluções mudam o mundo, as pessoas, causam revolução, mudam a maneira de governar e tiram pessoas do poder. Então, qual a solução?


Observações:
1.Infelizmente não consigo achar a reportagem para indicar o link, mas continuarei tentando. Se mais alguém assistiu a reportagem, por favor avise-me.

2. O site Agência Amazônia tem uma ótima narração de uma viagem à Amazônia, descobri enquanto procurava o link. Vejam uma pequena parte da viagem:
" Navegávamos a uma velocidade de 5 quilômetros por hora, por um lado é bom, pois, conseguimos acompanhar a rotina da comunidade ribeirinha. Alguns fazem orações, outros trabalham com madeira, pescam. Quando percebem a aproximação da balsa, eles se vêm para vender de seus produtos - cuias tacapes e outras mercadorias, como farinha, frutas regionais, sandálias de couro, mesinhas de madeiras, cadeiras e tantas outras coisas. Esperam o momento que a canoa está rente à balsa, jogam uma corda e prendem no gancho, então eles sobem e oferecem os produtos aos passageiros. Como moeda, recebem óleo diesel e aceitam felizes porque sabem que logo ali na frente conseguem vender. Ganham também roupas usadas, sapatos, pacotes de biscoitos, latas vazias. São os pobres que doam aos miseráveis.

Meninas de uns 13 anos também jogam uma corda, prendem-se à balsa e quando conseguem pular para cima, oferecem o corpo. Ás vezes a prostituição também é paga em óleo diesel. " ADALBERTO SILVA

2 comentários:

Elaine disse...

Olá!
Dei apenas uma lida rápida no seu blog pois estou meio sem tempo mas gostei tanto que vou voltar sempre;me identifiquei com muito do que você escreve,
Fica com Deus.

Cristiane A. Fetter disse...

Geo, eu acho que existe solução:
1-Educação
2-Leis severas
3-Educação
4-Pessoas capazes de cumprir as leis
5-Educação
6-Educação
7-Educação
8-Educação
9-Educação